Blog

Cicloturismo: viaje pelo Brasil e pelo mundo pedalando!

Viajar sobre duas rodas, usando como combustível arroz e feijão. Achou estranho? Então, certamente você nunca ouviu falar do cicloturismo, modalidade de viagem que usa a bicicleta como meio de transporte, e que vem ganhando cada vez mais adeptos no Brasil.

Venda de bicicletas cresce em 2020

Na verdade, não há como falar de cicloturismo sem falar, primeiro, do uso da bicicleta como meio de transporte. E com o trânsito cada vez mais caótico, e o estresse causado por ele, muitas pessoas passaram a recorrer à bicicleta para driblar as horas perdidas nos congestionamentos. Também parece que a pandemia do coronavírus fez as pessoas optarem por esse veículo para se locomoverem, evitando aglomerações no transporte público. Segundo dados da Associação Brasileira do Setor de Bicicletas – Aliança Bike – em setembro e outubro desse ano foram vendidas 64% a mais de bikes em comparação ao mesmo período de 2019.

Cicloturismo
O uso da bicicleta como meio de transporte é cada vez mais comum nas grandes cidades. (Foto: banco de imagens)

Ainda de acordo com a Aliança Bike, o boom no mercado de bicicletas é mundial. E a crescente procura impactou também no fornecimento de peças ao mercado brasileiro, já que a maioria dos insumos tem origem asiática. As lojas estão conseguindo manter o mercado aquecido e abastecido, mas alguns equipamentos mais específicos começaram a faltar.

Bike nas grandes cidades

Mas com o assunto cada vez mais em alta, a expectativa é que o cenário mude em breve e que empresas brasileiras passem a produzir peças. O aumento dos ciclistas no cenário urbano, dividindo espaço com os carros, também exige iniciativas públicas. Obviamente, o Brasil ainda está muito longe de oferecer um ambiente ideal ao ciclistas urbanos, comparado com Holanda, país modelo no que diz respeito ao uso da bicicleta em um ambiente seguro. Mas há esperança nos avanços feitos até agora.

Certo, mas vamos voltar ao foco deste artigo: o cicloturismo.

Empresas especializadas

Basta uma busca simples na internet para você encontrar uma gama de empresas brasileiras especializadas no cicloturismo. Claro que para enfrentar uma viagem montado em uma bicicleta, percorrendo centenas de quilômetros, é preciso preparo físico, emocional, o equipamento correto e um espírito aventureiro nato.  Se você já se arrisca em passeios mais longos, tem um pouco de experiência no assunto, fica um pouco mais fácil. Mesmo assim, vale se informar sobre o que levar em uma viagem como esta. Por exemplo, câmaras de ar reservas, algumas ferramentas, lanches rápidos e água devem estar sempre à mão.

Cicloturismo
O cicloturismo exige preparo e equipamento adequados. (Foto: cicloturismo.org.br)

Roteiros para todos os gostos

Apesar de não oferecer um ambiente ideal para o uso da bicicleta nas cidades, o Brasil oferece várias boas opções quando o assunto é rotas para cicloturismo. Como já foi falado, há muitas empresas de aventura que organizam passeios e acompanham os ciclistas nas rotas.

Santa Catarina é um estado que oferece vários circuitos turísticos para bike. E um dos mais famosos é o do Costa Verde & Mar, uma rota de 210 quilômetros que passa por 10 cidades do litoral norte catarinense. Os visuais são belíssimos. Durante o trajeto, o cicloviajante passará  por belas praias, áreas de mata nativa, rios, cachoeiras, trechos rurais e urbanos. Um prato cheio para quem curte aventura perto do mar.

A Pediverde, empresa paulistana especializada em cicloturismo, oferece desde cursos para iniciantes – o que chamam de escola de cicloturismo –  a roteiros exclusivos para os praticantes de diferentes níveis. Nesse quesito, as rotas oferecidas são de diversos estados, como Pernambuco, Sergipe, Mato Grosso do Sul, Alagoas, Paraná, São Paulo e Rio Grande do Sul.

Em Goiás, um dos roteiros cicloturísticos mais famosos é o Caminho de Cora Coralina. São mais de 300 quilômetros percorridos entre 8 cidades turísticas e 8 povoados que remontam às picadas abertas por exploradores da região, que descobriram inúmeras riquezas nas terras dos índios Goyazes no passado. O circuito tem início em Corumbá de Goiás e termina na Cidade de Goiás, município de nascimento da poeta e escritora goiana Cora Coralina. Por isso, o nome do caminho a homenageia.

Se você quer se aventurar no cicloturismo, informe-se em uma empresa especializada e siga o passo a passo para poder explorar o país sobre duas rodas.

Leia também: 5 dicas de lugares incríveis para acampar

 

 

Você também pode se interessar por