Compartilhar:

De 18 a 29 de julho acontece o consagrado Festival de Dança de Joinville, período em que dançarinos do país todo aguardam para, não só mostrar seus trabalhos, como também exaltar e celebrar sua paixão pela dança. Importantes artistas já passaram por ali como Ana Botafogo, Carlinho de Jesus e o bailarino russo Mikhail Baryshnikov, como também participaram companhias e balés do mundo todo como Ballet do Theatro Bolshoi, da Rússia, Ballet Stuttgart, da Alemanha, Ballet Estable Del Teatro Colón, da Argentina, o Ballet Du Grand Thèâtre de Genève, da Suíça, Ballet Nacional Sodre, do Uruguai, David Parsons Dance Company, de Nova York, Compania Italiana Evolution Dance Theatre e o Balé Nacional de Cuba.

O Festival já está em sua 35° edição, teve início em 1983, com 40 grupos participantes, mas alcançou notoriedade em 2005, quando foi reconhecido pelo Guiness Book como o Maior Festival de Dança do Mundo. Uma das propostas da Comissão Organizadora é sempre inovar em relação ao ano anterior. A última edição trouxe um FlashMob, evento em que as pessoas se reúnem em determinado lugar para realizar uma ação, com mais de 9 mil pessoas e foi comandado pelo coreógrafo Fly, diretor artístico da Rede Globo.

FlashMob 2016. (Créditos Diego Redel. Festival de Dança de Joinville)
O que acontece no 35° Festival 

No dia 19 de julho, às 20 horas, no Centreventos Cau Hansen, inicia-se a Noite de Abertura, com o espetáculo da Cia Deborah Colker, “Cão Sem Plumas”, baseado na obra de João Cabral de Melo Neto. O tema principal do poema é o rio Capibaribe que atravessa o estado de Pernambuco, tratando sobre as adversidades encontradas em suas margens. “O espetáculo é sobre coisas inconcebíveis, que não deveriam ser permitidas. É contra a ignorância humana. Destruir a natureza, as crianças, o que é cheio de vida”, disse Deborah em entrevista à Organização do Festival.

O “O Cão Sem Plumas” da Cia Debora Colker (Créditos: Cafi. Festival de Dança de Joinville)
Já a Noite de Gala, que acontece no dia 24 de julho, às 20 horas, no Centreventos Cau Hansen, é uma homenagem à história do Festival, intitulada “Gala 35 anos Festival de Dança de Joinville”, com direção de Marcelo Misailidis, diretor do Corpo de Baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. O espetáculo tem como referência a ópera e conta com bailarinos que participam de grandes companhias no Brasil e no exterior.

Este ano a Mostra Contemporânea de Dança traz cinco espetáculos, com duas apresentações gratuitas, “Auto-matismos”, da Companhia Auto-matismos do Ceará, no Centreventos Cau Hansen, no dia 22 de julho, e “Escuta! Performance Urbana”, da carioca Cia Híbrida, no dia 28 de julho no Terminal de Ônibus Central Deputado Aderbal Tavares Lopes. Também haverá apresentações gratuitas de diversas companhias na Feira da Sapatilha, Praça Nereu Ramos, Shoppings como Cidade das Flores, Mueller e Joinville Garten.

Durante os dias do evento, a Mostra Competitiva traz as categorias Balé Clássico de Repertório, Balé Neoclássico, Dança Contemporânea, Danças Populares, Danças Urbanas, Jazz e Sapateado. A tão esperada Noite dos Campeões acontecerá no dia 29 de julho, às 19 horas, no Centreventos Cau Hansen, encerrando o Festival com reapresentação das coreografias premiadas, além da entrega de troféus para Coreógrafo Revelação, Prêmio Revelação, Melhor Bailarino, Melhor Bailarina e Melhor Grupo do 35º Festival de Dança de Joinville.

Além disso, nos dias 26 e 27 de julho ocorre o 11° Seminário de Dança “1,2,3 e já! A criança pinta, borda e dança”, com o tema “as possíveis relações entre dança e infância”. Ainda há cursos, oficinas, a Feira da Sapatilha, com roupas, calçados e acessórios para quem adora dançar. Para saber mais sobre a programação completa do Festival de Dança de Joinville, visite o site oficial.

Também ficou com vontade de visitar Joinville? Então compre suas passagens pelo Portal Rodoviariaonline e aproveite!