Blog

Obras na Estrada da Graciosa em ritmo acelerado

Você já ouviu falar da Estrada da Graciosa? Se você é paranaense, certamente que sim. E mesmo que não seja, pode já ter ouvido falar ou até tido a felicidade de passear por suas curvas acentuadas.

A PR-410, mais conhecida por Estrada da Graciosa, é um atrativo turístico paranaense importante, que tem início em Quatro Barras (região metropolitana de Curitiba) e dá acesso aos municípios de Antonina e Morretes, no litoral do Paraná. A rota cruza um dos trechos de Mata Atlântica mais preservados do Brasil, onde o visitante desfruta de um visual deslumbrante, com belas cachoeiras. Uma das características marcantes da Graciosa é que não há asfalto: a estrada foi construída em paralelepípedo, já que sua construção teve início no século XVIII. A descida da estrada da Graciosa é programa imperdível para o fim de semana, para quem quer descer até Morretes e saborear o barreado, prato típico da região.

Obras na Estrada da Graciosa
Portal da Estrada da Graciosa. (Foto: Marcos Guerra)

Porém, desde o dia 13 de março deste ano o acesso aos municípios litorâneos pela Graciosa foi interrompido por conta do desabamento de um trecho da estrada. Situação que deixou sem saída os inúmeros comerciantes que vivem na região e que dependem exclusivamente do turismo para se sustentar. A previsão, na época, era de até 6 meses de obras para recuperação da estrada. Na semana passada, os moradores da Graciosa tiveram uma feliz notícia, que promete acabar com a angústia da interdição. Desde o dia 23 de abril, equipes contratadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) trabalham em ritmo acelerado para a reconstrução do trecho desabado, permitindo a passagem de veículos em meia pista.

A previsão de conclusão das obras na Estrada da Graciosa é o início do mês de junho, antes da Copa do Mundo, se não houver chuvas intensas na região neste período.

O Portal Rodoviariaonline torce para que as obras sejam concluídas no prazo, permitindo que os comerciantes retomem suas atividades e consigam atender a demanda de turistas que estarão presentes em Curitiba e região para os jogos da Copa.

(Por Renata Sklaski)